sábado, 29 de março de 2014

Quadro de estiagem permanece pelo menos até junho

O quadro da estiagem no Ceará permanece e a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) monitora semanalmente às condições oceânicas e atmosféricas globais na intenção de informar os tomadores de decisão sobre alterações ou permanência dos sinais. Em 2014, o órgão já emitiu dois prognósticos oficiais de chuva e divulgou, na última semana de março, um terceiro documento que confirma a tendência de irregularidade nas precipitações até o mês de junho.

De acordo com o terceiro prognóstico, a maior probabilidade é de que as chuvas fiquem abaixo da média histórica no trimestre abril – maio – junho na maior parte do Ceará, numa área que se estende da Região Central ao Sul do Estado. Apenas na parte Noroeste, entre o Litoral Norte a Região da Ibiapaba, os modelos sugerem maior probabilidade de chuvas em torno da média histórica. “Nosso esforço é em gerar previsões mais frequentes e informar ao Governo e à sociedade. A maior preocupação é com os níveis dos reservatórios, que apesar de discreta elevação, permanecem críticos”, ressaltou Eduardo Sávio Martins, presidente da Funceme.

A nova previsão climática divulgada pela Funceme abrange os dois últimos meses da quadra chuvosa e o primeiro mês da pós-estação (junho). Os dados preocupam, já que os primeiros meses do ano apresentaram déficit de precipitação no Estado. Em janeiro, quando a média histórica é de 98,7 milímetros, choveu somente 46,7. A média em fevereiro é de 127,1mm e foram registrados 92,9mm. O mês de março ainda não terminou, mas a média mensal é de 206,2mm e houve precipitações de apenas 122,9mm em 27 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário