terça-feira, 19 de setembro de 2017

Iguatu mais que triplicou os poços nos últimos meses

poço
 Foto: Honório Barbosa
A demanda por água nas comunidades rurais é crescente. A Secretaria de Agricultura e Pecuária, em parceria com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e a Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) estão perfurando e instalando poços rasos e profundos neste município. O número mais do que triplicou nesses últimos dois meses. Somente neste município foram perfurados oito poços rasos e 20 profundos. “Os pedidos por abastecimento de água, por meio de perfuração de poços aumentam a cada mês”, disse o titular da Secretaria de Agricultura e Pecuária do Município, Hildernando Barreto. “Já temos mais de 20 pedidos

encaminhados e agendados para o atendimento. É um esforço e uma luta contra o tempo”, completou.
Reservas comprometidas
Depois de seis anos seguidos de chuvas abaixo da média, as reservas hídricas nos açudes estão chegando ao fim, a água no subsolo também fica escassa. Poços reduziram vazão ou secaram. Assim, é preciso novas perfurações. Comunidades, antes abastecidas por reservatórios, agora precisam de poços. “Pelo menos é a esperança dos moradores”, observa o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Evanilson Saraiva.
Neste ano, a secretaria de Agricultura e Pecuária, em parceria com o SAAE, já perfurou oito poços rasos para atender as comunidades de Itans, Lagoa dos Moreiras, Barreira dos Paraibanos, Vila Julieta, Várzea da Lama, Varzinha, Santa Clara e Logradouro. “Após o fechamento da válvula do Açude Trussu (decisão da comissão gestora), muitas localidades ficaram sem acesso à água”, explicou Barreto. “Tivemos que atender com urgência a essa demanda”.
Outras 20 localidades foram atendidas com a perfuração de poços profundos, mas em pelo menos seis não houve vazão adequada, caracterizando o poço seco. “Nessas comunidades, as equipes fazem nova perfuração, em outras áreas, e temos obtido êxito, com o segundo poço ofertando vazão suficiente para a demanda”, explicou Barreto.
As localidades de Barra, Santa Clara, Baixio dos Ferreiras, São José, Cajás, Recreio, Regalo, Riacho Vermelho, Morada Nova, Retiro, Barrocas, Tambiá, Logradouro, Gadelha e Solidão foram atendidas por meio da ação da Sohidra. A equipe de operários da Superintendência já fez perfuração de um segundo poço nas comunidades de Retiro, Aroeiras e Cajás.
Situação crítica
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Evanilson Saraiva, disse que é crítica a escassez de água nas áreas rurais. “Esse é um problema que se agrava e afeta o sertão do Ceará”, observou. Morador da localidade de Barrocas, na margem do Açude Orós, Saraiva e centenas de famílias viram a água do reservatório se afastar e ficar bem longe a perder de vista. “Enfrentamos muitas dificuldades, não havia mais como bombear a água do açude, mas a perfuração de um poço foi a nossa salvação. A água é de qualidade e em quantidade suficiente, com uso racional”, contou.
O secretário Executivo da SRH, Aderilo Alcântara, disse que a demanda é sempre crescente por poços. “São pedidos que nos chegam diariamente, oriundos dos prefeitos”, frisou. “Estamos tentando atender a demanda, mas o quadro de escassez de água nos traz dificuldades, pois alguns secaram, outros não dão vazão suficiente e o jeito é apelar para o carro-pipa”. Alcântara também observou que há casos em que ocorre demora na instalação do poço. “Precisamos da parceria dos municípios para vencermos esse quadro de escassez de água para abastecimento humano e matar a sede dos animais”
por Honório Barbosa - Colaborador