RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Prefeitura de Tauá fecha escolas no distrito de Marrecas e população protesta na Câmara Municipal

Foto - Blog do Wilrismar 
O anúncio do fechamento de duas escolas no distrito de Marrecas, zona rural de Tauá, provocou revolta e protesto dos pais dos alunos na sessão da Câmara Municipal realizada na noite desta terça-feira, 24. O assunto foi divulgado pelas emissoras de rádio da cidade que receberam inúmeras mensagens das comunidades de Belo Alto e Riacho dos Cavalos, cujas escolas estão sendo desativadas. A equipe da Secretaria de Educação se reuniu na manhã de ontem(24/10), com os pais de alunos matriculados na Escola Cosmo Pereira dos Santos, na localidade de Belo Alto, quando foram comunicados do fechamento da escola e o remanejamento das crianças de 4 a 7 anos de idade para a Escola Francisco Bernardo de Oliveira, na localidade de Missão.

A comunidade ainda tentou dialogar solicitando que a Secretaria adiasse a decisão para o próximo ano tendo em vista que o ano letivo de 2017 estava no final e que a mudança traria dificuldades de adaptação para as crianças, no entanto, a argumentação dos pais não foi acatada pela Secretaria de Educação.
No final da manhã, os pais de alunos da localidade de Riacho dos Cavalos, também foram comunicados sobre o fechamento da escola e a transferência dos alunos para a Escola da Vila Joaquim Moreira.
Representantes da localidade de Riacho dos Cavalos estiveram na Câmara Municipal e portando cartaz pediram o apoio dos vereadores para que a escola não fosse fechada.
Prestaram solidariedade e apoio ao pleito da comunidade, os vereadores, Luís Tomaz, Dra. Fátima Veloso, Felipe Viana, Marco Aurélio, Alaor Mota, Antonio Coutinho e Williana. Já os vereadores Wellington Jr, Avelange Jr. e Fátima Guedes, não se manifestaram sobre o pedido dos pais.
Os vereadores Dr. Edyr, Ronaldinho, Valdemar Jr., Chico Neto e Vony do PT, não compareceram à sessão.
Clique Aqui e assista ao vídeo!
Leia uma das mensagens encaminhadas para o WhatsApp da Rádio Difusora por uma moradora da localidade de Belo Alto
"Venho por meio do seu programa em nome de toda comunidade do Belo-Alto Marrecas hoje dia 24/10/2017 para contar a nossa indgninaçao para com o senhor prefeito Carlos Windison pelo o fechamento do colégio Cosmo Pereira dos Santos, falta menos de dois meses para o fim do ano letivo, e as crianças vão ser transferida para o colégio da Missão eu como avó e todos os pais das crianças estamos inconformados com esse tipo de absurdo quero saber se o senhor PREFEITO vai colocar um transporte de qualidade com cadeiras adequada para as crianças pois tem crianças de 2-3-4-5 anos e todos precisa de cadeiras adequada com sua fachetaria com sua idade.
A única benfeitoria que tiamos na nossa comunidade era o colégio do Belo-Alto e o senhor prefeito com sua falta de respeito feiz o favor de fechar o nosso colégio. Não vamos aceitar um transporte escolar não seja adequado para com os nossos filhos. Como vai ficar o psicológico dessas crianças. Por que o senhor PREFEITO não deixa o colégio funcionar até o fim do ano letivo. Pesso por favor faça a divulgação. Boa tarde obrigada"
O vereador Luís Tomaz criticou o fechamento das duas escolas e salientou a existência de uma Resolução do Conselho Municipal de Educação estabelecendo que escolas que tenham mais de 20 alunos não podem ser fechadas. Ele disse que “a escola da localidade de Belo Alto tem 24 alunos com previsão de aumentar para 27 no ano letivo de 2018”. Luís classificou as medidas que vem sendo adotadas pela gestão municipal de “desmandos administrativos, que estão atingindo as pessoas mais humildes de nosso município”.
O vereador também cobrou um posicionamento da Justiça e do Ministério Público de Tauá diante dos fatos que vem ocorrendo no município.
Clique Aqui e veja o pronunciamento do vereador Luís Tomaz

á o vereador Antonio Coutinho sugeriu “o corte de elevadas gratificações pagas a alguns funcionários, que giram entre R$ 3 mil e R$ 4 mil reais, para atender a população e evitar o fechamento dessas escolas”. Ele disse ainda que a situação dos servidores que estão há quase 90 dias sem receber salários está ficando insustentável.
Outra reclamação do vereador Antonio Coutinho foi sobre a situação do transporte escolar que está parado em várias comunidades por falta de pagamento. “Nos distritos de Santa Tereza e Trici, os alunos que moram em outras localidades estão procurando locais na vila de Santa Tereza para morar e não perderem o ano letivo”, alertou.
A vereadora Dra. Fátima Veloso criticou a decisão da Secretaria de Educação de fechar as escolas de Belo Alto e Riacho dos Cavalos há 2 meses do encerramento do ano letivo e apelou para a sensibilidade da gestão. Ela também reclamou sobre a falta de transporte escolar no distrito de Inhamuns. “A rota atende a 12 localidades e os alunos estão sem aulas há uma semana porque os pneus do ônibus estouraram e até agora o problema não foi resolvido pela prefeitura”.
A parlamentar também criticou os altos salários pagos a algumas pessoas e disse que a situação está ficando insustentável porque “a seleção realizada pela Secretaria de Educação não teve qualquer planejamento”.
O vereador Felipe Viana criticou o atraso no pagamento dos servidores e fornecedores da Secretaria de Educação e cobrou também informações sobre a contratação de veículos para transporte de professores, que também estão parados por falta de pagamento. Ele afirmou estranhar o fato de que “demissões estão acontecendo e ao mesmo tempo a Prefeitura está fazendo novas contratações. É preciso abrir a caixa preta da Educação”.
Felipe disse também que as medidas adotadas prejudicaram o calendário escolar de 2017 e defendeu a instalação da CPI para investigar e esclarecer o que está acontecendo na Secretaria de Educação do município de Tauá. 
O vereador também falou a respeito do projeto de redução do IPTU.
Clique Aqui e veja o pronunciamento do vereador Felipe Viana
O único integrante da bancada de situação a se manifestar sobre as críticas feitas pelos vereadores, foi Avelange Jr, que considerou as críticas como normais e salientou que a Secretária de Educação, que é sua mãe, está no cargo há apenas 20 dias. Ele disse que o passado não pode ser esquecido e que "as críticas são injustas".
O vereador admitiu que a receita do Fundeb está em torno de 2,2% maior do que o previsto para o ano de 2017.