VOCÊ ESTÁ OUVINDO A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - WHATSAPP (88) 9-8854-7627

VOCÊ ESTÁ OUVINDO A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - WHATSAPP (88) 9-8854-7627
CLIQUE NA IMAGEM E BAIXE O RÁDIOS NET E LEVE A RÁDIO CATARINA FM ONLINE COM VOCÊ

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Açude Castanhão recebe volume de água pela primeira vez em 10 meses

Açude Castanhão recebe água pela primeira vez em 10 meses (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
O açude Castanhão, maior açude do país e principal reservatório a abastecer a Grande Fortaleza, recebeu um leve ganho no volume de água com as chuvas de fevereiro. Entre quinta-feira (22) e este sábado, o volume de água no Castanhão subiu de 2,08 para 2,1%, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Coergh). A última vez que o açude havia recebido água foi entre 19 e 20 de abril de 2017; nessa data, o volume do Castanhão subiu de 5,97% para 6,01%. Desde então, dia após dia, o Castanhão perdia volume, por meio do consumo humano e evaporação natural da água. Apesar das chuvas bastante acima da média no Ceará neste mês de fevereiro, o Castanhão vai precisar de mais tempo e mais precipitação para receber um aporte significativo.


A meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) Meiry Sakamoto explica que as chuvas que ocorrem na região ainda não são suficientes para abastecer o maior açude do estado; isso deve ocorrer com o aumento do volume de água nas bacias que recarregam o reservatório. "As bacias de contribuição dos principais reservatórios do estado, que são o Orós e o Castanhão, ficam justamente no Centro-Sul do estado, daí chuvas boas no Cariri, no Centro-Sul, podem sim converter em água pros reservatórios."  média de chuvas para o mês de fevereiro no Ceará já foi ultrapassada. Conforme dados ainda preliminares, até esta terça-feira (20), o volume observado é de 157 milímetros, 32% acima da média histórica para todo o mês. Apesar do ganho, o volume de água do Castanhão segue na situação mais crítica já registrada. O reservatório atingiu neste ano o volume morto.

Foi a primeira vez que isso ocorreu com o açude desde que ele foi criado, em 2002, sobre a ruínas da antiga cidade de Jaguaribara. Em 2004, ano em que houve fortes chuvas em todo o Ceará, o Castanhão sangrou pela primeira vez. Situação de outros açudes
Além do Castanhão, todos os açudes de grande porte no Ceará estão com menos de 30% da sua capacidade, segundo a Cogerh. Atualmente, três açudes do Ceará estão sangrando, todos de pequeno porte. Um tem volume acima de 90% e outros 120 têm menos de 30% da sua capacidade, segundo a Cogerh.