RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Tumulto> PM joga spray de pimenta e dá tiros de bala de borracha contra professores em Icó

Foto: Ascom/Fetamce
Clima de tensão marcou na noite desta segunda-feira, 19, a votação do decreto 02/2018 de autoria da prefeita de Icó, Laís Nunes, que propõe a redução de 40 horas semanais para 20 horas de 362 professores da rede municipal de ensino. A proposta foi aprovada em primeira votação por sete votos a cinco.Policiais militares fizeram isolamento do prédio do Legislativo e soltaram bombas de efeito moral, spray de pimenta e deram tiros de bala de borracha contra professores e manifestantes que aguardavam a votação na Rua Grande, a Avenida Ilídio Sampaio, no Centro Histórico de Icó.  O presidente da Câmara, Fernando Nunes, irmão do ex-prefeito, Neto Nunes, e cunhado da prefeita, solicitou a presença da Polícia Militar e determinou um controle de entrada de pessoas, limitando por senha dada aos vereadores a quantidade de manifestantes no interior da sede do Legislativo.



Do lado de fora houve tumulto e a confusão se generalizou. Os manifestantes vaiaram os vereadores que votaram a favor do projeto encaminhado pela prefeita, Laís Nunes.
De acordo com a presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público no Ceará, Enedina Soares, havia um verdadeiro clima de guerra. “Ficamos sob a mira de armas e recebemos spray de pimenta na cara”, contou. “Estamos lutando por nossos direitos e é uma vergonha cortar os salários dos professores pela metade e ferir aqueles que educam as nossas crianças”.
Os professores e sindicalistas reclamaram contra o exagero e a violência dos policiais militares.
Em apenas um decreto, a prefeita Laís Nunes, que é casada com Neto Nunes (ex-prefeito e ex-deputado estadual), tornou nula todas as ampliações de carga horária concedidas aos professores em função do decreto 18/2014.
“O desespero dos professores é total, pois muitos fizeram empréstimos, têm prestação de casa ou de carro para pagar e outros compromissos assumidos e de uma hora para outra ficam com a metade do salário”, frisou Enedina Soares.
A Fetamce e o Sindicato dos Professores de Icó anunciaram que vão ingressar na Justiça contra o decreto da prefeita Laís Nunes. Na próxima quinta-feira, haverá a segunda votação do decreto. 
O vereador da oposição, Welington Chiclete não compareceu e o ex-secretário de Educação e vereador, Marconier Mota também não participou da sessão da Câmara de Icó.