segunda-feira, 7 de maio de 2018

Agricultores de Novo Oriente querem feijão com preço mais justo na feira

Foto - Dr. Claudino
A saca de feijão que é comercializada atualmente na feira de Novo Oriente, uma das maiores feiras de grãos do nordeste, varia o preço em torno de R$ 50. Mas, a preocupação é o preço da concorrência de agricultores de outros municípios que vendem na feira, que não é considerado justo pelos vendedores de Novo Oriente.“Teve feijão de até R$ 45 a saca, é um preço inviável, dá prejuízo, porque o agricultor gasta mais do que isso para aprontar a saca de feijão”, disse o vereador Dr. Claudino ao Portal Sertões nesta segunda-feira, 30, se referindo ao preço dos agricultores que não são da cidade.

A alternativa dada pela Ematerce, é a proposta de projeto na Câmara Municipal, de uma cooperativa para que possa comercializar o feijão. Sobre o preço baixo trazido pelos comerciantes de fora, Dr. Claudino, questiona a qualidade do produto por não ser puro.
“Nós não temos um feijão uniforme, ou seja, estão misturados. Você encontra num saco, vários tipos de feijões, e por isso cai a qualidade, por conta da chuva, e também a variabilidade de feijão numa saca só. Quando um feijão é limpo, mais uniforme, encontra-se de até R$ 100 a saca”, destaca Dr. Claudino, que também é engenheiro agrônomo do posto da Ematerce. Dr. Claudino afirma que acompanhará o processo do projeto na Câmara.
NATHAN LOYOLA – PORTAL SERTÕES