quinta-feira, 10 de maio de 2018

Autoridades temem a falta de vacinas no dia D: a população alvo continua buscado muito a vacinação contra a H1N1 nas cidades do Interior do Ceará

arte
Diário do Nordeste 
Na lista do O Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), o Estado do Ceará atingiu 39,45% de vacinação contra H1N1 do grupo prioritário - crianças, trabalhador da Saúde, gestantes, puérperas, indígenas, idosos e professores do Ensino Básico e Superior. O município com maior índice de vacinação é Mauriti, no Cariri, com 60,65%. Já os menores são Croatá (9,55%) e Poranga (9,58%), ambos no Noroeste do Estado. Essa alta procura pela imunização preocupa as autoridades da Saúde no Interior em relação à realização do dia D de vacinação, no sábado (12).

Com 57,02% do grupo prioritário vacinado contra o vírus da influenza, Solonópole, no Sertão Central, registrou uma morte por H1N1, segundo o último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), segue na lista divulgada pelo Datasus, entre os cinco municípios cearenses de maior cobertura vacinal. Solonópole ocupa a quinta posição e tem ampliado a vacinação, incluindo as zonas rurais. Além do grupo prioritário, cerca de 8.500 pessoas, entre comerciantes, estudantes da rede pública e privada, funcionários de repartições públicas e população em geral foram imunizadas graças aos lotes extras recebidos da Sesa, pela Coordenadoria Regional de Saúde, com sede em Quixadá. Solonópole também recebeu a visita de técnicas estaduais de vigilância em doenças imunopreveníveis, e lotes extras do medicamento Tamiflu e de Swab, material utilizado para colher amostras em casos suspeitos.
Em Milhã, onde foi registrada a morte de uma criança em abril, o secretário municipal da Saúde, Charles Pierry Ferreira, informou que apesar da morte da paciente ter ocorrido em Fortaleza, o Município adotou todas as medidas de bloqueio do vírus. Por meio da Sesa, foram conseguidas 2.300 doses extras, também disponibilizando especialistas para orientação aos profissionais da Saúde. A cobertura de vacinação já é de 53,25%.
Escassez
Na maioria dos municípios do Centro-Sul do Ceará, há escassez de doses da vacina contra a influenza nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). O motivo, segundo os coordenadores locais de Imunização, deve-se ao aumento da demanda neste ano, e o repasse parcelado em sete vezes do envio de doses pela Sesa.
"Neste ano, aumentou muito a procura por causa de divulgação pela imprensa de casos de H1N1 e de óbitos", frisou a coordenadora de Imunização da Secretaria da Saúde de Iguatu, Edimira Assunção. "Chegaram sete mil doses nessa quarta-feira, para reabastecer os 31 postos de Saúde. Já atingimos 45,30% da nossa meta e continuamos realizando busca ativa nas casas e vacinação nas escolas, creches e nas igrejas", reforçou.
Em Cedro, a imunização já atingiu 28,77% da meta do público alvo. "Somente alguns postos têm vacina", revelou a coordenadora de Imunização do Município, Mirella Maciel. "Estamos esperando o terceiro lote de um total de sete", explicou.
A coordenadora também atribui o surgimento de casos da gripe e de morte de alguns pacientes ao aumento da demanda. "No ano passado, houve resistência, muitos não queriam receber a vacina, mas, neste ano, a situação inverteu-se. Até quem não é do grupo de risco quer se vacinar", destacou.
Os coordenadores de vacinação temem a falta de doses para o Dia D, previsto para o próximo sábado (12). "Se não vier um novo lote, em quantidade suficiente, não vejo sentido aderir a essa mobilização", ponderou Mirella Maciel. Cedro e outras cidades mantêm o serviço de levar a vacina para aqueles pacientes idosos e sem condições de locomoção, em suas casas, segundo demanda apresentada pelos agentes comunitários de Saúde.
Norte
Na região Norte do Estado, Sobral já vacinou 40,28% do público alvo. Ontem, chegaram 15.160 doses, que correspondem a 68% da meta. A expectativa, para o restantes, é até o dia 1º. Segundo Josiane Dorneles, coordenadora de Atenção à Saúde do Município, o trabalho de contingenciamento, que define o papel dos atores da saúde local, segue com suas ações. "Até agora, foram registrados 15 casos com Síndrome Respiratória Aguda Grave, sintoma aparente da influenza, mas, dos exames realizados, apenas um foi positivo. O paciente, um menino de 4 anos, foi medicado e curado. Com a chegada das doses, voltaremos a vacinar aqueles grupos prioritários", explicou.
Atualização de dados
Camocim, no Litoral Oeste, vacinou apenas 22,66%. Mas, segundo Fernando Fernandes, secretário da Saúde municipal, "estamos muito acima desses dados revelados pelo Datasus. O problema é que temos tido atraso no registro de informações para o Sistema Nacional de Imunizações, que será atualizado nessa próxima sexta-feira; mas a campanha transcorre normalmente nos postos de saúde da sede e nos distritos".
Outro município da região Norte que também segue vacinando é Itarema, que recebeu, na terça-feira (8), um lote de doses para atender mais 27% da meta estipulada (11.014 doses). Desde o início da campanha, no dia 21 de abril, 4.515 doses tinham sido repassadas pela Sesa, o que equivale a 41% da meta pretendida.
"O Município nega qualquer informação veiculada sobre a morte de um paciente no Hospital Regional de Sobral, como foi divulgado. Não temos nenhum caso notificado, nem confirmado de H1N1 em Itarema, conforme o Boletim Epidemiológico divulgado pela Sesa. As pessoas podem se tranquilizar e seguir com a vacinação", orienta Luiza Fernanda Monteiro, coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Itarema.
Cariri
Em Juazeiro do Norte, maior município do interior do Estado, atingiu 32,41% do grupo prioritário. A meta da Secretaria Municipal da Saúde é vacinar 54 mil deste grupo, número acima de 90%. No entanto, a maioria dos postos está desabastecida, pois a procura tem sido grande. O quarto, de seis lotes, é esperado para amanhã (10).
"Até o dia D, esperamos receber um quantitativo bem superior do que recebemos, que foi de 4 mil doses, para ter a condição de fazer essa logística e ter vacinas suficientes. A procura está sendo grande", afirmou a diretora de Imunização do Município, Márcia Rejane Rodrigues.
Já no Crato, a Universidade Regional do Cariri (Urca) realizou uma campanha de vacinação voltada aos servidores da instituição, na última terça-feira (8). Ao todo, foram imunizadas 70 pessoas, destas, 50 contra a Influenza. A vacinação, realizada no Ginásio Poliesportivo, foi coordenada pelo Núcleo Interdisciplinar de Apoio Ao Servido (Nias) e imunizou professores e funcionários de diversos setores da Instituição.