quinta-feira, 10 de maio de 2018

Ministério aponta mais de mil casos de fraude no seguro-desemprego no Ceará


Entrada em pedidos de seguro desemprego passa pelo sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Foto: Rogério Aderbal/G1)
Foto: Rogério Aderbal/G1
O Estado do Ceará teve mais de mil pedidos de seguro-desemprego bloqueados por se tratarem de fraude, identificados por meio do sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Antifraude). Conforme o Ministério, entre dezembro de 2016 e abril de 2018, o estado registrou perto de R$ 6,2 milhões em fraudes bloqueadas. "São recursos que devem ser retirados apenas por trabalhadores em momentos de dificuldades, mas vinham sendo desviados por quadrilhas que atuavam no Ceará. Com o Antifraude, nossa fiscalização vai continuar impedindo a ação desses criminosos", afirmou o ministro

do Trabalho, Helton Yomura. Cidades do CE com mais tentativa de fraude no seguro-desemprego

Cidade
Quantidade
Valor bloqueado
Fortaleza
432
R$ 2.638.007
Cascavel
130
R$ 812.908
Caucaia
158
R$ 754.133
Maracanaú
125
R$ 580.452
Maranguape
66
R$ 373.107
Iguatu
44
R$ 324.158
Trairi
25
R$ 128.146
Crateús
21
R$ 116.124

A maioria dos casos foi registrada em unidades da capital cearense. Foram 430 casos de fraudes bloqueadas em Fortaleza, totalizando um valor de R$ 2,6 milhões. Depois, destacaram-se Cascavel, com 130 casos e fraudes de quase R$ 813 mil; Caucaia, que teve 158 requerimentos bloqueados, chegando a R$ 754,1 mil; e Maracanaú, que em 125 fraudes bloqueadas atingiu R$ 580,4 mil.

A modalidade Emprego Formal respondeu por praticamente todas as fraudes do Seguro-Desemprego bloqueadas no Ceará. Foram 1.088 casos, chegando a R$ 6,1 milhões. Apenas três bloqueios foram registrados na modalidade Pescador, totalizando R$ 3,7 mil.
Em todo o Brasil, o sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Antifraude) implantado pelo Ministério do Trabalho (MTb) em dezembro de 2016 já proporcionou uma economia de quase R$ 1 bilhão aos cofres públicos até abril de 2018. Com quase 62 mil requerimentos bloqueados nesse período, o Antifraude chega perto de R$ 313,7 milhões em fraudes bloqueadas em todo o Brasil.

"Esses recursos seriam levados por quadrilhas organizadas que, ao longo do tempo, fraudaram e roubaram o dinheiro dos cofres públicos, mas agora elas estão sendo identificadas e interceptadas, com o uso da tecnologia de ponta", afirma o ministro do Trabalho substituto, Helton Yomura.