RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

domingo, 24 de junho de 2018

Ceará vai manter vacinação contra gripe para grupos prioritários que não atingiram meta

Secretaria de Saúde recomenda que municípios sigam vacinando grupos prioritários que não atingiram meta de 90%. (Foto: Divulgação/SES)
Foto: Divulgação/SES

Dois dos sete grupos prioritários não alcançaram a cobertura de 90% de doses aplicadas da vacina contra a gripe: crianças entre seis meses e cinco anos e gestantes. Entre as crianças, o percentual de vacinação foi de 86,96%; e o de gestantes, 87,77%. Ainda assim, o Ceará alcançou a meta nacional ao vacinar 95,63% do público-alvo, o que representa 2.212.492 de doses aplicadas "Nós estamos orientando os municípios para que, mesmo com o fim da campanha – e se ainda tiverem estoque de vacinas –, sigam aplicando especialmente nesses dois grupos", afirma Ana Vilma Leite Braga, coordenadora de imunização da Secretaria de Saúde do Estado.

"De acordo com o Ministério da Saúde, se o estado conseguir que 70% dos municípios atinjam a meta com cobertura total, significa que ele atingiu a meta estabelecida. Nós tivemos 168, dos 184 municípios, com cobertura total. Em outros 105 a cobertura foi homogênea, o que significa que atingiram a meta em todos e em cada um dos grupos prioritários", explica

Em termos percentuais, o Ceará é o estado do Nordeste com maior cobertura e homogeneidade e o quarto do Brasil, atrás apenas de Goiás, Amapá e Distrito Federal. De acordo com o Ministério da Saúde, a campanha não vai ser prorrogada e não há vacina extra para enviar aos estados. "Todas as vacinas já foram distribuídas aos municípios e quem ainda tiver vacinas deve manter a vacinação", ressalta

Em Fortaleza ainda há um estoque pequeno de vacinas que vão ser aplicadas em gestantes e crianças, grupos onde a meta não foi alcançada entre os prioritários.
Entre os grupos que superaram a meta estão os professores (119%), trabalhadores em saúde (112%), puérperas (107%), indígenas (97%), e idosos (96%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário