quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Dois incêndios destroem mais de 300 hectares em área de serra em Cariús e Aurora na divisa com a Paraíba

 Foto de Wandemberg Belém
Vegetação nativa seca e sol intenso favorecem a ocorrência de incêndio nesse período do ano. No sítio Cana Brava, zona rural de Cariús, no Centro-Sul do Ceará, moradores tentam apagar por conta própria um fogo que acontece em uma área na serra da Mutuca. Outro incêndio ocorre no Cariri, em Aurora, no Ceará, e em Cachoeira dos Índios, na Paraíba.   O produtor rural, morador de Cana Brava, Renato Torres, estima que o fogo já destruiu mais de 200 hectares de mata e deixou um prejuízo de pelo menos R$ 50 mil com destruição de cercas. 


Segundo moradores, o fogo começou há mais de uma semana e já destruiu cercas, pastagem e mata nativa. Ainda há focos do incêndio.
Os bombeiros do Quartel de Iguatu  não foram ao local porque disseram que era de difícil acesso para os veículos tanques, e estão avaliando a situação. “Parece que a situação está controlada”, disse o sub-tenente, Lamonier César. “Estamos aguardando o retorno telefônico de um morador, que ligou ontem (terça-feira, 2) à noite. “Solicitamos que fizessem acero para facilitar o deslocamento de uma equipe com bombas costal e abafador”. Se não houver controle do fogo e ocorrer risco para os maradores o helicóptero do Ciopaer, da Polícia Militar, poderá ser acionado.
O fogo está controlado, mas ainda há focos em alguns pontos.
 Na região Centro-Sul não existem equipes do Prevfogo.
Muitos dos incêndios têm origem criminosa ou resultam da queima de brocas, coivaras ainda feitas por alguns agricultores para preparo de terra para o plantio.

Na região do Cariri, há outro extenso incêndio, que atinge áreas entre o Ceará e a Paraíba, nos municípios de Cachoeira dos Índios, Paraíba, Aurora e Barro, no Ceará.
Segundo os moradores, o incêndio teria começado no sábado à tarde na divisa do Ceará com a Paraíba, no município de Cachoeira dos Índios. Já no domingo, o fogo chegou ao sítio Tipi de Cima, zona rural de Aurora.
A dona de casa, Teresa Tavares, que mora há 17 anos na localidade, contou que foi surpreendida pelas chamas na porta de casa. O agricultor Ivanildo souza que mora vizinho também ficou assustado. “As plantações irrigadas de feijão, fava e milho foram completamente destruídas”, pontuou. Ele afirma que o prejuízo teria sido maior se a comunidade não tivesse unido forças.
O incêndio já atingiu três comunidades rurais em Aurora e uma no município do Barro. O Corpo de Bombeiros foi acionado mas até agora não conseguiu controlar as chamas. Três equipes trabalham no local. O que torna difícil o combate do incêndio é que ele está distribuído em vários pontos diferentes.
Atento ao que estava acontecendo, o produtor rural, José Alves se antecipou e antes que o incêndio atingisse o rebanho de ovelhas, ele criou coragem e montou uma mini brigada, formada por amigos e vizinhos. O grupo entrou na serra, ontem à noite,  para apagar o fogo.

Por - Honório Barbosa 


Nenhum comentário:

Postar um comentário