sábado, 6 de outubro de 2018

Homem preso com fuzil 7.62 ordenou Chacina da Palmácia

FOTO: KID JÚNIOR
Um homem preso com um fuzil calibre 7.62, em uma abordagem da Polícia Militar no bairro Granja Portugal, em Fortaleza, na noite da última quinta-feira (4), é apontado pela Polícia Civil como o mandante da Chacina da Palmácia, que deixou cinco mortos, no dia 13 de julho deste ano. Agora, ele também é suspeito de matar um jovem, pouco antes de ser capturado, nas proximidades do local. Francisco Antônio Azevedo Fernandes, de 32 anos, conhecido como 'Padeirinho', tem uma vasta ficha criminal. A detenção, com um
armamento de alto poder destrutivo, revelou o poderio do suspeito, que seria membro da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Mesmo considerado foragido da Justiça devido à Chacina, ele continuaria ativo no planejamento e na execução de homicídios.

Contra ele, há sete processos criminais, por homicídio qualificado, roubo e porte ilegal de arma de fogo, no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). A primeira ação penal foi recebida pelo Poder Judiciário em setembro de 2012, devido a uma prisão em flagrante, na posse de um revólver calibre 38, no bairro Bom Jardim. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou, em nota, que o suspeito ainda é investigado por receptação, associação criminosa e evasão mediante violência contra a pessoa.

'Padeirinho' carrega a sua antiga profissão no apelido e é suspeito de cometer crimes principalmente no bairro onde morava, o Bom Jardim, e nas adjacências - como a Granja Portugal. Além do assassinato cometido na última quarta-feira (3), ele responde pela execução de Romário Sousa Martins, na mesma região, em junho de 2016.

A reportagem apurou que o homem também tem um histórico de fugas. Ele escapou da Unidade Prisional Agente Penitenciário Luciano Andrade Lima (antiga CPPL I) - que abriga presos ligados ao CV - em Itaitinga, em 23 de fevereiro deste ano. E foi resgatado por comparsas, quando estava sob custódia de policiais militares, no hospital Frotinha da Parangaba, após a morte de Romário, há dois anos.

Matança
A Chacina da Palmácia foi um ato que saiu da área de atuação criminosa de 'Padeirinho'. A explicação dada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) é que a matança não foi uma ação da facção a qual o homem pertence, mas sim uma decisão isolada dele, em vingança a uma tentativa de estupro sofrida pela sua prima, no Município que fica a 68 km de distância da Capital.

Francisco Antônio ordenou o crime e seus comparsas executaram o plano, disfarçados como policiais civis, na manhã do dia 13 de julho, em uma serra de difícil acesso. Cinco pessoas foram assassinadas a tiros. Entretanto, o alvo da ação criminosa, Antônio Augusto dos Santos, suspeito de tentar o estupro contra a jovem, escapou ileso. Pai e irmão dele estavam entre as vítimas da Chacina.

Quatro suspeitos foram detidos pela matança. Entre eles estava Antônio Evaldison Azevedo Fernandes, vulgo 'Cabo Vitor', irmão de 'Padeirinho'. Dois homens foram localizados justamente no Bom Jardim, onde o mandante do crime morava e atuava. O nome de Francisco Antônio foi divulgado pelo DHPP, em coletiva de imprensa no dia 16 de julho deste ano.

Detenção
Fugitivo de presídio e foragido por uma chacina, 'Padeirinho' foi localizado somente após cometer outro homicídio, na última quinta-feira (4). Segundo a SSPDS, policiais militares realizavam diligências após o assassinato de Vitor Bruno Vieira de Souza, de 21 anos, na Rua Coronel João Correa.

A Polícia Militar encontrou um veículo suspeito, que foi visualizado na ocorrência, estacionado em uma residência e cercou o imóvel, na Rua Mateus Lemos. Os homens tentaram fugir, mas acabaram presos. Além de 'Padeirinho', foram detidos José Jucelino Alves Cardoso Filho, 25, com antecedentes criminais por receptações e porte ilegal de arma de fogo; e Antônio Maurício Alves da Silva, 29 anos, que estava com mandado de prisão em aberto por roubo, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas, além de responder por um homicídio e também ser foragido de uma unidade prisional do Estado.
Com o trio, a Polícia Militar apreendeu um fuzil calibre 7.62, um carregador de fuzil, 77 munições do mesmo calibre, munições de calibres 380, Ponto 40 e 44, pequena quantidade de crack, balaclavas, camisas com o brasão da Polícia Civil e distintivos, uniformes de uma concessionária de veículos, capas de colete balísticos, rádios comunicadores, bloqueadores de GPS, medicamentos diversos e valores em espécie.

Ainda conforme a Secretaria da Segurança, os suspeitos foram autuados em flagrante por receptação, porte ilegal de arma de fogo, tentativa de roubo, adulteração de selo ou sinal público e organização criminosa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário