RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

RESGATE EM MILHÃ: Dois mortos em tiroteios com a PM

Image-0-Artigo-2337023-1
 Foto: VC Repórter 
Um dos fugitivos do ataque à Cadeia Pública de Milhã, na manhã desta terça-feira (12), e outro suspeito de participar do resgate, que resultou no assassinato de um sargento da Polícia Militar (PM), foram mortos durante confrontos com policiais militares. Uma das mortes ocorreu ainda na tarde da última terça-feira. O outro suspeito morreu, ontem, em um novo tiroteio com a PM. Além deles, mais dois homens foram presos em Fortaleza, após investigações apontarem a dupla como participante da ação criminosa. As informações são do tenente-coronel PM, Gilvandro Oliveira, do Comando de Policiamento do Interior do Sul (CPI-Sul), que ressaltou que um dos suspeitos capturados, identificado como Odeon Bandeira, seria o chefe da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), no Sertão Central. De acordo com o oficial, ainda na terça-feira, o fugitivo João Eduardo Viana dos Santos foi morto em confronto com a PM.
Também anteontem, dois homens foram presos por uma composição do Batalhão de Policiamento de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), na Avenida João Pessoa, no bairro Damas. A dupla foi interceptada em um veículo modelo Toyota Hilux que, de acordo com as investigações, teria sido utilizado na ação criminosa.

Conforme o oficial, a operação para recapturar os demais fugitivos e os envolvidos no resgate continuou. Na manhã de ontem, um homem identificado como Jardel Ribeiro Aquino morreu em um novo confronto.
Ação ousada
De acordo com a PM, cerca de dez criminosos armados com fuzis e pistolas chegaram à Cadeia Pública de Milhã na terça-feira. O sargento Izaías dos Santos chegou em uma patrulha para dar apoio aos agentes penitenciários e morreu no tiroteio com os criminosos. Após atirar no policial, o bando conseguiu resgatar os detentos Damião Érico Cavalcante Nicolau; Cícera Michele Feitosa de Oliveira, e João Eduardo Viana dos Santos. Os dois primeiros haviam sido presos no último dia 8, durante a Operação "Ilha de Guantánamo".