CLIQUE NA IMAGEM PARA OUVIR A RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA AO VIVO

CLIQUE NA IMAGEM PARA OUVIR A RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA AO VIVO
CLIQUE NA IMAGEM PARA OUVIR A RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA AO VIVO

sábado, 2 de dezembro de 2017

Sorteio define Brasil no grupo E, com Suíça, Costa Rica e Sérvia; oitavas pode ter Alemanha

Clique na imagem para ampliar e ver os detalhes
Em sorteio realizado, em Moscou, o Brasil caiu no Grupo E da Copa do Mundo de 2018 e enfrentará Suíça, Costa Rica e Sérvia na fase de grupos da competição na Rússia. A estreia será contra os suíços, no dia 17 de junho, um domingo, na cidade de Rostov. A segunda partida do time do técnico Tite será diante da Costa Rica, em 22 de junho, em São Petersburgo. A seleção brasileira encerra a sua participação na fase de grupos diante da Sérvia, no dia 27 de junho, em Moscou. A partida será na Arena Spartak.

O sorteio da Costa Rica como adversária dos comandados de Tite foi feito pelo ex-lateral-direito Cafu na cerimônia que aconteceu em Moscou. O Brasil levou a melhor sobre os costarriquenhos em 1990, na Itália, pelo placar de 1 a 0, e em 2002, no Mundial dividido entre Japão e Coreia do Sul, por 5 a 2.
Quem colocou a Suíça no grupo do Brasil foi o argentino Diego Maradona. Ele poderia ter colocado a Inglaterra no caminho dos comandados de Tite, mas os ingleses caíram no grupo G, ao lado da Bélgica Brasil e Suíça se enfrentaram uma única vez em Mundiais, em 1950 O jogo foi disputado em São Paulo, e terminou em 2 a 2.
A Sérvia foi a segunda a ser retirada do pote 4 - no caso, pelo ex-zagueiro italiano Fabio Cannavaro -, que continha as participantes com piores posições no ranking da Fifa, o que a colocaria no Grupo B. No entanto, esta chave, assim como a C e a D, já era formada por dois europeus, máximo permitido pelas regras.
Futuros adversários
O sorteio colocou Brasil e Alemanha em grupos "vizinhos" para a competição na Rússia, o que poderia indicar um possível confronto já nas oitavas de final. Mas as duas seleções têm mais chances de se cruzar em uma possível final.
Caso passe em primeiro lugar, o Brasil vai enfrentar nas oitavas de final o segundo colocado do Grupo F, da Alemanha. Os mais prováveis adversários seriam Suécia e México, que já enfrentaram a seleção em várias ocasiões. A partir da etapa seguinte, as quartas de final, rivais com mais currículo devem começar a cruzar o caminho. O sorteio também definiu que o jogo de abertura da Copa será entre Rússia e Arábia Saudita, no dia 14 de junho de 2018.
A Copa do Mundo da Rússia não terá jogos entre campeões mundiais na primeira fase. Desta vez sem o chamado "grupo da morte", os destaques são os confrontos entre Espanha e Portugal e Bélgica e Inglaterra.
O jogo entre portugueses e espanhóis pelo grupo B será no dia 15 de junho, às 15h.
Sem favoritismo
O técnico Tite evitou falar em favoritismo e insistiu que a Seleção Brasileira precisa "se consolidar e crescer". "A exigência para enfrentar Costa Rica, Sérvia e Suíça precisa ser a mesma para enfrentar uma Espanha ou Inglaterra", declarou.
O esforço de Tite em se esquivar do discurso de favorito vem de pelo menos três exemplos. "Em 2006, a Itália era campeã e hoje nem está aqui", afirmou. "Em 2014, a Holanda foi terceira e não está aqui", insistiu.
"Precisamos olhar para nós. Ter variações táticas e estabelecer o respeito e adaptações dependendo dos adversários", pregou Tite. O treinador brasileiro ainda indicou que vai buscar amistosos contra seleções com características parecidas com a dos adversários do grupo.
Pelé ovacionado
Pelé foi um dos destaques do sorteio da Copa do Mundo, em Moscou e, pela primeira vez, dividiu um evento com Diego Maradona. O brasileiro foi chamado de "rei" por Gianni Infantino, presidente da Fifa, e levou os 6 mil convidados a ovacioná-lo .
Pelé, que entrou em uma cadeira de rodas, precisou receber a ajuda de três pessoas para se levantar e sentar em seu lugar, na primeira fila. Ele se sentou próximo da cadeira onde estava Vladimir Putin, o presidente da Rússia.
Pelé havia sido convidado pela Fifa para estar em outros eventos. Mas, por sua condição de saúde, não pôde fazer a viagem. Desta vez, o encontro com a Fifa também representou uma tentativa de superar suas divisões.
Ao ser anunciado pelo presidente da Fifa, o "rei" acenou ao público presente.