quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Ceará deve seguir com chuvas acima da média em março, diz Funceme

Fortaleza amanheceu neste sábado com chuva. De acordo com monitoriamento da Funceme foram registrados desde a meia noite precipitações de 5,8 milímetros. (Foto: Gioras Xerez/G1 Ceará)
Foto: Gioras Xerez/G1 Ceará

O mês de março será de boas chuvas com precipitações, entre média e acima da média segundo informações da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Para o supervisor da Unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz, a expectativa para março é de mais chuvas, já que o mês tende a ser o mais chuvoso do ano, além das condições oceânicas e atmosféricas estarem favorável.  "A média de março é a mais alta da quadra chuvosa que vai até maio do ano. Normalmente março tende a ser um mês chuvoso. As condições oceânicas e atmosféricas do momento indicam que possivelmente deveríamos ter um março normal e acima da média. Pelo menos na próxima semana o início de março temos tendência de boas chuvas em todo o estado do Ceará."

O mês fevereiro tem chuvas 30,1% acima da média no Ceará. Todas as regiões cearenses superaram a média esperada. "As chuvas foram bem distribuídas, de modo geral. Apenas uma região central e outra da parte jaguaribana é que tiveram menos chuvas neste período. No entanto, tivemos destaque na Região Norte, Litoral, Ibiapaba e a Região do Cariri", disse Fritz

Apesar das boas chuvas, as precipitações não foram suficientes para deixar açudes com bom aporte.
"Houve um início do aporte, mas as chuvas não foram suficientes para um aporte significativo e desejado. Mas digo que já representou um sinal positivo neste início de quadra chuvosa e esperamos que continue assim."
O Rio Salgado, principal aquífero a abastecer o Castanhão, tem uma cheia com o acúmulo de água das chuvas do mês de fevereiro. Em Aurora, no Cariri, as águas do Salgado correm quase no nível da ponte que dá acesso ao município. Veja as imagens no vídeo acima.
As águas do Salgado já resultaram em um aumento do volume do Castanhão, maior açude do país. Desde o fim de semana, a reserva do Castanhão subiu de 2,08% para 2,22% da capacidade máxima.
O aumento ainda é bem pequeno, mas é a primeira vez que o Castanhão tem aumento no volume desde abril de 2017, há 10 meses, conforme os registros da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).