Danilo trabalha para tirar o DEM da base de apoio ao governador Camilo Santana

Foto - Diário do Nordeste
O deputado federal Danilo Forte (DEM) não está nada satisfeito com o governador Camilo Santana. A primeira manifestação pública do rompimento foi o pedido de intervenção na área da Segurança, imediatamente após o presidente Michel Temer ter anunciado a intervenção na Segurança do Rio de Janeiro. Os aliados de Camilo ficaram surpresos com a defesa de Danilo, embora reconheçam a fragilidade desse setor da administração estadual. Danilo por suas ligações com o próprio Michel Temer, da época que ele era filiado ao PMDB, foi até a aproximação do senador Eunício ao governador Camilo, um influente interlocutor da administração estadual com setores do Governo Federal e o próprio presidente Temer. Por isso, Danilo ganhou um bom espaço no Governo, chegando a indicar

um nome, Jesualdo Farias, para uma das principais secretarias, a das Cidades, ocupadas por Ivo Gomes e posterior Lúcio Gomes. Jesualdo, hoje, está na relação de candidatos a deputado federal, portanto, se confirmada a candidatura, concorrente da Danilo.
A aproximação de Eunício ao esquema governista, acabou com o protagonismo de Danilo Forte, pois o senador assumiu todos os interesses do Estado e dos prefeitos do grupo de Ciro e Cid Gomes, em Brasília. Danilo não se dá com Eunício, e vice-versa. A saída do deputado do PMDB, foi também por conta da divergência deles. Eunício, também, é o dono do PMDB cearense.
No DEM, após uma rápida passagem pelo PSB, Danilo trabalha agora, junto à direção nacional do partido, tirar o apoio que a agremiação dá a Camilo Santana, sob a alegação de que o seu partido não deve “participar desse condomínio do PT e PMDB”. Ele diz que o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, que vai assumir a presidência do partido, e Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, querem uma nova postura do partido e isso inclui buscar o seu próprio fortalecimento