RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

sexta-feira, 23 de março de 2018

Quatro cidades do Interior vão ganhar curso de Medicina

 A cidade de Iguatu, no Centro-Sul do Estado, é um dos quatro municípios cearenses contemplados com o curso de Medicina ( FOTO: HONÓRIO BARBOSA )
A expectativa de que o Ministério da Educação (MEC) iria selecionar quatro municípios do Ceará para implantação de curso de graduação em Medicina por instituição de educação superior foi oficializada nessa quarta-feira (21). Foram selecionados os municípios de Iguatu, Canindé, Itapipoca e Quixadá. No Brasil, foram 21 municípios selecionados pelo MEC para implantação de curso de graduação em Medicina por instituição privada. O próximo passo, segundo explicou o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) do MEC, Henrique Sartori, será a abertura de edital de seleção de instituições mantenedoras, no qual as faculdades serão selecionadas nesses municípios. "O processo deve durar oito meses", prevê.

Prefeitos e representantes das secretarias de saúde das cidades cearenses selecionadas estiveram em Brasília e assinaram o termo de compromisso para a implantação dos cursos. "Conseguimos vencer mais uma batalha em busca de realizar esse sonho para Iguatu", frisou o secretário de Saúde, Marcelo Sobreira. "A implantação do curso de Medicina vai ampliar a oferta de ensino superior no Município e contribuir para o crescimento educacional da cidade".
O ministro da Educação, Mendonça Filho, disse que o objetivo da implantação de novos cursos é preservar a qualidade da formação médica no Brasil. "O nosso esforço é gerar mais oportunidade na formação médica em municípios distantes, onde a população muitas vezes não tem acesso a profissionais ligados à saúde. Expandir e interiorizar a formação médica é fundamental para ampliar o acesso a saúde de boa qualidade".
O MEC fez um levantamento a fim de identificar quais municípios estavam em condições de receber os novos cursos de Medicina nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. "Os municípios aptos passaram por uma seleção criteriosa em relação à sua capacidade de saúde", disse Sartori. "Foram avaliados equipamentos de saúde, quantitativo de leitos, hospital com potencial para se tornar uma unidade de ensino, equipe de atenção básica e um campo de prática que garanta aos alunos uma boa educação e uma educação de qualidade".
Pelo menos desde 2015 que Iguatu faz mobilização a favor da implantação de um curso de graduação em Medicina. Neste ano, após visita de técnicos do MEC, Iguatu chegou a obter avaliação 'não satisfatória', mas o Município ingressou com recurso e reverteu a decisão ministerial. "Sempre acreditei que Iguatu seria selecionado", disse o prefeito Ednaldo Lavor. "Essa é uma conquista de todos nós". No último dia 7 de março, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, divulgou em rede social que os quatro municípios estariam selecionados para implantar curso de Medicina.
Quixadá
O médico cardiologista Ricardo Silveira revelou que o movimento em Quixadá para trazer o curso de Medicina começou em 2010 por iniciativa do bispo emérito dom Adélio Tomasin, quando ainda era reitor da Faculdade Católica. "A minha expectativa era de o curso ser oferecido por uma universidade pública, mas nas muitas idas a Brasília constatei que o Governo Federal não tem recursos financeiros para esse fim", ressaltou.
Já as articulações em torno do curso são bem diferentes. A administração municipal faz mistério em torno dos detalhes e mais ainda sobre as instituições interessadas em instalar o curso.
Itapipoca
O momento é de comemoração para Itapipoca, no Norte do Estado. Entre os requisitos avaliados pelo Ministério da Educação em capacidade de saúde, foram levados em consideração, o quantitativo de leitos oferecidos à população, a estrutura das equipes de atenção básica, além da capacidade do hospital polo, com potencial para se tornar uma instituição de ensino.
No que se refere à atenção básica, o Município possui 42 equipes de saúde espalhadas pelos Centros de Saúde da Família, ocupando a 10ª posição no ranking das regiões de saúde do Ceará, em número de habitantes (cerca de 292 mil) e extensão territorial. O São Camilo, Hospital Polo de Itapipoca, possui 138 leitos, com atendimento nas clínicas médicas, cirúrgicas, obstétricas, gineco-obstetrícia e traumato ortopedia, mantidos com recursos do Governo do Estado.
O hospital é a porta de entrada em urgência e emergência para pacientes de Amontada, Trairi, Miraíma, Tururu, Umirim e Uruburetama. A partir da implantação do curso de Medicina, ele será transformado em Unidade Escola.
Segundo Mário Couto, coordenador da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde de Itapipoca (6ª CRES), "nos últimos quatro anos, o Município dobrou o número de atendimentos de saúde, o que contribuiu para sua entrada na seleta lista de implantação do curso de Medicina no Ceará".
por Honório Barbosa/Alex Pimentel e Marcelino Júnior - Colaboradores