quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Preso em Santa Catarina acusado de estuprar, matar e desovar corpo de adolescente no lixão de Iguatu

Foto - Diário Centro Sul 
Um trabalho investigativo do delegado regional de polícia civil de Iguatu, Marcos Sandro Nazaré de Lira, com a participação do delegado municipal, Raphael Fernando Gobbi Fagundes, e uma troca de informações com policiais civis de Santa Catarina, resultou na prisão de um acusado de um crime hediondo, ocorrido em Iguatu, na noite do dia 26 de abril de 2013. Policiais civis de Camboriú, coordenados pelo delegado Paulo Caixeta Braga Júnior e pelo delegado que fez o intercâmbio de informações Eduardo Dallo, prenderam no local de trabalho, o técnico em computação

 Gildázio Severino de Lima, de 46 anos, natural de Lavras da Mangabeira.

Gildázio Lima estava com prisão preventiva decretada pela Justiça e será encaminhado para cadeia de Iguatu nos próximos dias. Segundo os delegados Marcos Sandro e Raphael Gobbi, naquela noite fatídica, na Vila Centenário, Gildázio participava de uma bebedeira em uma casa com Yaslan Moreira, que hoje tem 25 anos e com a namorada dele, a adolescente Keyla Cibele Queiroz Davi, que tinha 17 anos.
A adolescente acabou sendo estuprada, morta a marteladas e o corpo desovado no lixão de Iguatu dentro de um saco. O corpo de Keila foi encontrado no dia 29, data da prisão de seu namorado Yaslan, que em depoimento na época disse que Gildázio, que agora foi preso no interior catarinense, apenas teria ajudado a levar o corpo até o lixão com ele em um veículo.
Gildázio Severino tinha prestado depoimento como testemunha do crime e adiantou que apenas tinha bebido com Yaslan, que foi julgado e condenado a quase 42 anos de reclusão no dia 29 de setembro de 2016, e continua preso.
Depois de 5 anos, o nome de Gildázio voltou a figurar como sendo um dos autores do crime, principalmente do estupro. O exame de DNA pedido pela polícia judiciária deu positivo, pois o sêmen encontrado em Cibele era de Gildázio. Já o de Yaslan Moreira, o exame deu negativo.
O crime chocou a população de Iguatu em abril de 2013. Em poucos dias, vários crimes já foram elucidados pelos delegados Marcos Sandro e Raphael Gobbi no Iguatu.

Por - Honório Barbosa 



Nenhum comentário:

Postar um comentário