RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE

RÁDIO PORTAL FM DE CATARINA ONLINE - WHATSAPP E CELULAR - (88) 9-8832-5446

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Medidas para combater focos da peste suína no Ceará serão discutidas nesta quinta-feira; Quatro municípios já registraram o foco da doença.

Foto - Diário do Nordeste 
O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) vai discutir, nesta quinta-feira (25), estratégias para apoiar o combate à Peste Suína Clássica (PSC) no Estado. Os municípios de Forquilha, Groaíras, Santa Quitéria e Varjota registraram o foco da doença. Representantes do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caomace), Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon) e Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) vão participar da reunião que será realizada às 9 horas, na sede do Decon. 


O presidente da Adagri solicitou ao MPCE, nesta quarta-feira (24), durante encontro na Procuradoria Geral de Justiça, a adoção de medidas legais junto às Prefeituras para garantir o cumprimento das barreiras sanitárias. A fiscalização do trânsito de animais pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), a presença de animais em feiras municipais irregulares, o cadastramento de criadores suínos nos municípios, maus tratos aos animais nas feiras e no transporte e abates clandestinos foram discutidos nesta quarta.

Peste Suína 
O foco de peste suína clássica (PSC) foi confirmado, inicialmente, no município de Forquilha no dia 6 de outubro e, atualmente outros três municípios cearenses apresentam focos da doença: Groaíras, Santa Quitéria e Varjota. A PSC é uma doença causada por vírus, que tem como possíveis hospedeiros apenas procos e javalis. Não representa riscos de saúde para humanos. As ameaças recaem sobre os produtores locais, que podem perder parcelas consideráveis das criações de animais.

Segundo a agência agropecuária, os focos estão sendo saneados com o objetivo de controlar e erradicar o agente da PSC o mais rápido possível, evitando a disseminação da doença e reduzindo ao máximo as perdas produtivas e econômicas decorrentes. Os casos suspeitos devem ser imediatamente comunicados à Adagri pelo telefone: 0800 280 0410. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário